19 de out de 2017

Migalhas

dedesequilibrio mundial nao me fas perder a fe , se e fe que move o mundo eu vou faser o que pude, não tenho medo saber de crescer de viver bom do Brasil e o brasileiro que balança mas nao cai segue a luta corre atrás do que disseram que ele nao seria capaz pé no chao nesse mundao opitei pela inclusao prezado cidadao cresceu com arroz feijão , pra uns so arroz pra outros so feijao pro terceiro mundo migalhas que caíram no chão sobrevivamos a desigualdade meu irmão por isso mesmo opitei pela inclusão

Nicole Raxiih

19 de jan de 2017

Tua Voz

Meu
Pensamento
Tem
Tua Voz
Grave

Esther Alcântara

13 de jan de 2017

Vento Puto

Sussurrava tão baixo
que desisti de escutar.
Aí bateu a porta.

Autor desconhecido

12 de jan de 2017

VASODILATAÇÃO

Vivemos vagamente viajando
Visando valioso volume
Vosso vaso vasilhame vazado
Vazando verdades vorazes
Vontade voltando vazia
Vozes variando vocês

Velhotes vexames votados
Velados vereadores varões
Vomitam verminoses Vencidas
Vertigens vazões vilões
Valores vagamente voláteis
Vomitam veneno vocês

Viajaremos Vagabundamente 
Vasculhando vitalidade venosa
Ventosa ventania vagueia
Vigilância vigiando vontades
Verificando visões violões 
Vitrolas vivas 
Vinhos vivendo
Vislumbrando vocês

Visionários
Vasculhando viroses
Vacinas vasilhas vetadas 
Varrendo vila vilarejo
Vietnamitas vivos
Velhos violentados
Vacinando vocês.

Mikhail Queiroz

MINGUANTE

Lendário é o tempo
no esboço de calendário 

em que te lembro
Só te contemplo
na lua que míngua
em mim
Esther Alcântara

Poeminha da desolação

Os quatro poderes são 

O Legislativo pútrido
O Executivo torto 
Incendiário, o Judiciário 

E a tal Imprensa? 
Tendeciosa e vaporosa
indecorosa e pouco intensa 

Os empresários
Fedem no armário

O povo segue em coro, 
Males e agouro 

Eu mesmo não me seguro 
No galho espúrio 

E pra toda a podridão 
Não digo sim, 
Nem digo não

Sirvo,
Já que sou servo
E observo 

Sigo,
Já que sou cego
E desapego

No meu suspiro 
Terno confesso: 

FODA-SE o grito 
Foda-se o escândalo 
Foda-se a nação 

Enquanto o espanto,
O fundo pranto
Não for um laço,
Será separação.




Galldino

5 de jan de 2017

Talismã

sou seu segredo
um ás de espadas
caixa de pandora

vertigem, desejo
vem e incendeia
o momento agora

a entrega plena
poucas palavras
assim vai embora


Pedro Campos