29 de out de 2011

Fantasia da flor

Ela era tão bonita
a melhor companhia
não existe dia triste
acabou tanta agonia
tirou o bêbado da corda bamba
deu visão a quem não tinha
encharcou o campo seco
espantou a nuvem fria
e calou o choro feio com uma linda poesia

De tanta coisa boa que existe
Ela recusa autoria
Que o maior prazer incide
Em viver a liberdade
Não ser dono do universo
Compreender a igualdade
Todo mundo diferente
Diferença é roupagem

há de quem dela duvide
sua efêmera profecia
como a vida de uma flor
que se fecha ao fim do dia
antes tarde do que triste
Andes triste fantasia

Beto Mattos

Nenhum comentário: