16 de jul de 2015

Alquimia

Frente a um pobre romancista
Quase que equilibrista de emoção e razão
Que ponhe em seu paradigma
O estereótipo de solidão. 
Com única menção, a contratação de um alquimista
Que talvez encontre pista
De um novo coração.
Julgado na inquisição
E forçado a se perder junto a fumaça
Que pensar com sua única desgraça
Oferecer coração e vida
A uma pequena e querida
Que ponhe o fim da vida  
Na fogueira da solidão.


Lino Silva

Nenhum comentário:

Arquivo do blog