16 de jul de 2015

HONRA AO MERITO

A poesia invade a vida
E no âmago do ser
Não sou.
Aquele romântico transmissor.
O belo verso
Soa inverso
Agride o tema,
Reacendendo o dilema,
E  ecoando no vértice
Do universo
Versejando ao sabor da leitura,
A arte dura.
E se extrai
Do som,
Um dom
Não Juan,
Mais  sim, um emérito
Construtor, moldado na leitura
Ignorada,  sendo tudo
Tecnicamente, soa como
Nada.
Poesia retratada, um verso
De quadrante oficio
Ser poeta um  vício.
Assumo a peja.
Honra ao mérito
Assim seja.

Moisés Abilio

Nenhum comentário:

Arquivo do blog