16 de jul de 2015

Silêncio

Há um silêncio
Grávido de palavras
Que anseiam nascer

Há palavras sendo abortadas
Antes mesmo do amanhecer

Há risos presos em nós da garganta
Feitos de lágrimas que insistem em correr.


Marli fiorentin

Nenhum comentário:

Arquivo do blog